quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

O colecionador de pétalas


No jardim dos teus amores
brotou uma flor diferente
flor com sentimento
flor que chora por dentro

Quando distraído tratas doutras flores
Aquela, que é a mais formosa,
Derrama pétalas as dores
Acostumada aos teus carinhos, quando sem
Põe-se à sangrar os espinhos

Das flores que tu cultivas (cativas)
Algumas ficam expostas e são colhidas
Outras tantas por falta d'água perdem vida
Há ainda outras por ti esquecidas,
Que fazem caminhos de pétalas

como esperança que tu às colecione por toda vida

Mas a rosa mais viçosa anda por ti sofrida
Perderás rosa formosa,
Que julgas-te amor em tua vida
Faz algo se há tempo, ela verte sangue em vida
Pois as pétalas da ROSA rara,
Por ti não serão esquecidas.




Anna Carvalho





2 comentários:

José Manuel Brazão disse...

E serás sempre diferente para mim! Deus sabe que estou contigo. Belo poema, mas a minha Vida não é a do Poema como coleccionador. rrsss

Beijo grande

Anna Carvalho disse...

Ora, quer dizer que o jardineiro passou para comentar suas flores? rss
Sei que somos diferentes um para o outro, isso nos basta!

Beijo eterno,

Anna.

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t