quarta-feira, 6 de abril de 2011

Asas de anjo



Voarei sublime nas asas do tempo,
em prazer, translúcido céu azul
pousada nas asas do anjo encantado
a percorrer o caminho do sonho

Em corpo celeste o luminar da paz,
voltarei sem pressa ao início da vida
a mais tenra idade, o brotar da pureza,
o recomeçar do ciclo da alma

Morre a carne, a morada terrena
minh’alma, filha pródiga que retorna,
acolhida pelas asas de anjo sereno
recebida com sorrisos em nosso lar.


Anna Carvalho




0 comentários:

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t