sexta-feira, 15 de abril de 2011

A razão do silêncio





Será o silêncio a concha que guardarei minhas palavras,
Calo-me diante de teus olhos que por vezes não ouvem,
Serei a ausência de versos, o silêncio das mãos franzinas

Lançarei a concha de letras nas águas do mar da vida,
Será ele a trazer nas ondas a razão das palavras sentidas,
É preferível fazer o silêncio à dizer frases vazias.

Calo-me diante dos rumos que segue os teus dias,
Costuro a boca do peito com os fios da sabedoria
Guardo p'ra mim tão somente as dores e agonias...

E quando dúvida tiver quanto a força das ondas bravias,
Busque no mar a concha nela haverá a palavra amiga,
Saberás a razão do silêncio, acharás a pérola tesouro da vida!


Anna Carvalho


"Felizes daqueles que são prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar"




Anna
Um belo poema com reflexão importante sobre a Vida!
Sinto-me muito feliz com a tua evolução poética.
E fundamental para nós Poetas é merecermos o respeito e a admiração dos Colegas.
Sinto que conquistas diariamente tudo isso e eu nos bastidores contemplo a tua promissora carreira!
Beijo grande

......

Meu querido Zé,
Agradeço tuas bonitas palavras, é um poema que fala da sabedoria que é adquirida com o passar do tempo, e quão preciso é o silêncio...Coisas que aprendo com tuas orientações na vida e na poesia!
tem muito de ti nesses versos, acredite!
beijão,
Anna.

1 comentários:

José Manuel Brazão disse...

Um belo poema com reflexão importante sobre a Vida!

Beijo grande

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t