quarta-feira, 27 de abril de 2011

Juro!



Terei que juras pelos céus
ou conseguirá ler meu olhar?
Está na pele do corpo,
marcado no fundo do peito,
além das palavras e erros...

Não me faça jurar o sentir,
pois sinto o que está em ti...
É teu amor cada parte de mim,
fecundado no ventre da alma
acolhido na vida com calma

Se além dos olhos há o segredo,
procure-o desvendar sem medo...
terá que entender além do silêncio,
sentir os gestos mesmo pequenos...
Como poderia provar um sentimento?

Mas se o olhar não convencer,
a pele não comprovar...
o corpo não denunciar;
Juro... 
E que a jura vinda da boca
faça sentir o que há na alma;
o meu grande amor...


Anna Carvalho


3 comentários:

Amapola disse...

Boa tarde.
Lindo poema. O amor sempre nos deslumbra.

Um grande abraço.
Felicidades!

Maria Auxiliadora (Amapola)

Estou lhe seguindo.

Catia Bosso disse...

E que a jura vinda da boca
faça sentir o que há na alma;
o meu grande amor...
Que deslumbre este desfecho... SUSPIREI!

Bj.
Catita

acalenta disse...

ola!
Te axei tambem saudade
Seu blog tbm ta lindo amiga agora estamos uma no rastyro da outra.
Adorei sua volta.
beijinhos
Acalenta

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t