terça-feira, 31 de maio de 2011

És livre!





Meu coração foi para ti um ninho; pouco tempo quiseste ficar,

te apetece fazer outros vôos, não te impedirei de sonhar...



Na imensidão deste lindo céu azul, podes teu vôo alçar;
és um belo pássaro livre, que meu ninho deseja abandonar...

Meu corpo jamais  será gaiola,  bata as asas sem demora;
sabendo que para este ninho, se desejares, não terás volta...

Anna Carvalho



segunda-feira, 30 de maio de 2011

Apenas uma saudade...




No rádio tocava a nossa música...Parei, fechei os olhos e voei...
Contagiada pelo som orquestral revivi momentos de amor,
Como se o passado vestisse meu corpo,
como se a música trouxesse você de volta...

Com a ponta dos dedos toquei minha face, senti teu toque,
imaginei teu corpo, teus beijos, teu cheiro que vinha de meus sonhos...
Aqueci o coração ao som das notas mais lindas que um dia me dedicou,
de meus olhos lágrimas caem, as mais sinceras que havia em mim...

Ao final daquela bela melodia, fui abrindo os olhos devagar...
Juro; tinha a esperança de vê-lo em minha frente, em abraçá-lo,
em entregar esse amor que é teu e vive aqui dentro de mim!
Mas não, você não estava ali; continuo só dentro e fora de mim...
Apenas uma saudade...Só me resta essa fria saudade...

Anna Carvalho




domingo, 29 de maio de 2011

Sonhos, sempre sonhos!



Os sonhos clamam dentro de mim,

exasperam no infinito de minh’alma

querem voar livremente pelo céu da ilusão...
Já a vida insiste em colocar-me os pés no chão;
acha por bem camuflar os sentidos...

E essa seriedade que o tempo vivido trouxe;
é uma mascara que mundo obrigou-me vestir...
Mas os sonhos ainda continuam a viver,
n'algum lugar, agarrados ao fio da esperança
alimentando em mim; a eterna criança...

Anna Carvalho





                                     

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Alimenta Corações-Anna Carvalho



Alimentas corações
A mor nos teus olhos
N o teu coração flores
N a tua alma luz
A mas com a tua poesia

C antas e encantas corações
A mizade verdadeira
R aiando na tua vida
V oz de alma certeira
A limentas corações
L ágrimas de paixões
H averá festa permanente
O nde?Na tua vida certamente

27-5-2011---Naty Esteves

Mesmo que a dor doia
A tristeza apareça
Alguém te aborreça
Deus do Alto te apoia!


27-5-2011---Naty Esteves




Nota: Dedicatória feita em Luso Poemas pela talentosa e querida amiga NATY ESTEVES!



quarta-feira, 25 de maio de 2011

Chuva de saudade (Dedicatória)



Na frieza dos pingos de chuva que caem lá fora,
fazendo brotar em meus olhos gélidas lágrimas de ilusão.
Observo a pressa da multidão a procura d’um abrigo,
em cada rosto que por mim passa aflito, nele vejo tua expressão;
caem como as fortes gotas de chuva; minhas lágrimas ao chão...

Procuro no brilho dos olhares que cruzo; a luz de teu terno olhar,
tanta busca sei que é em vão, hoje te vejo com os olhos de meu coração!
Nas estradas dessa vida onde cruzo olhares em idas e vindas;
em todos procuro a razão de sorrir,  brilho da paz que havia em ti.

Em meios a tantos rostos, a tanta chuva...Sinto-me só nessa saudade,
buscando nos olhares desse mundo partes de tua identidade.
Mas partiste antes de mim, levando contigo a paz do puro olhar;
fiquei cá, no vazio da ilusão, buscando em outros olhos te encontrar...

 Anna Carvalho


* Dedicado à quem de mim partiu antes do tempo*

terça-feira, 24 de maio de 2011

Amor, não chore!



Amor não chore, são tão puras tuas lágrimas...
Teus lindos olhos que para mim não dormem;
transparentes janelas de tua alma.

Meu amor te peço não chore, daqui ouço teu pranto!
Sabes bem que o amor por ti não morre,
entreguei meu coração ao teu encanto...

Amor abre lindo teu sorriso, veste brilho em tua face!
Devolvo a ti aquela alegria, a paz que outrora perdia;
amo-te com toda verdade, além de nossa vida!

Anna Carvalho





(re) Nascer...




Quero reescrever a história, renascer p'ra essa vida,
chegar de novo sem pensar na hora da partida...
Tenho pressa para reviver, pressa de estar;
não parti e já tenho desejo de voltar, (re) nascer é belo!

Quem dera nascer noutro corpo, noutro tempo,
reviver o encanto da descoberta, recriar, reciclar...
Desse bolo da vida quero mais um pedaço;
quero repetir, empanturrar até o corpo saciar,
minha fome de conhecer, desejo de ser e estar...

O tempo que corre na ampulheta da vida não pára,
existem vidas por chegar, vidas a partir, vidas e mais vidas...
E se por graça do destino, o Dono da Vida assim permitir; 
quero renascer nesse mundo, viver noutro tempo,
e no seio da Terra ser aprendiz; desse mistério que é existir!

Anna Carvalho




Renascer



Já não sei falar de amor,
o mel das palavras se esgotou...
Perdi o jeito, a forma, a graça,
Não sei falar de amor apenas...

Do amor preciso sentir as letras,
nas linhas tem que haver as reticências,
Não porei ponto final,  nos sonhos algemas,
P'ra falar de amor preciso sentir a essência...

Desse sentir quero a conseqüência,
poetar o amor é rimar sentidos em poema,
E se forem vagas palavras, vele usar reticência
Na vida e na poesia o amor continua sua sentença...

Mulher de Fases




Tenho fases como a Lua;
tantas fases tenho em mim.
Ora, se estou cheia e vaidosa,
logo declino, perco o brilho,
hora cresço, desapareço, desalinho...

Tantas fases quanto a Lua,
carrego esse mistério nos olhos;
a energia delicada nos poros
sou parte d'ela ou ela de mim...

É de minha natureza ser assim;
Mulher cheia de fases, ares lunares...
E dentro de toda essa complexidade;
sou inteira e dona de mim!


Anna Carvalho



sexta-feira, 20 de maio de 2011

Flor do Amor





Na leveza de meus passos no solo de teu coração;
dispersando ao vento as sementes do sentimento
regadas com as mais sinceras lágrimas de saudade,
germinadas com o tempo, adubadas por meus beijos.
Nascerá na terra dentro de ti o verdadeiro sentir;
no silencio de teu coração brotará a mais bela flor;
da semente do sentimento nascerá o puro Amor.

Anna Carvalho



terça-feira, 17 de maio de 2011

Amor de longe



E se o amor vier de longe a vida e os sonhos te darão asas,
para voar além do mar da saudade, além de toda distancia.
Essa que não existe nos olhos e na alma de quem ama

E se a saudade fizer de teus olhos brotarem lágrimas, deixe-as;
serão elas como a chuva a cair puras no solo de teu peito
adubando o sentimento, alimentando os sonhos, as vontades...

E se houver o cruzar dos olhos, o calar de todas as incertezas,
aproveite cada segundo desse momento, o calor do olhar,
como se fosse o sorver da alma além do toque, além do corpo

E se houver amor, mesmo que distante, ame por inteiro!
Faça dos sonhos uma estrada florida e por ela encaminhe a vida
e nas asas do amor deposite a confiança, o elo do verdadeiro sentir.

Anna Carvalho


segunda-feira, 16 de maio de 2011

Além do Olhar





Olhe nos meus olhos, diga o que vê?
Se disser que vês a menina-íris, te direi:
-Pouco vê!
Então te pedirei que olhe além das cores,
por cima do globo, além pupila...
Então te pergunto; o que vê?

Se ainda nada vires, revelarei o segredo;
tenho vida e sonhos dentro do peito...
Há por dentro da casca a poeta mulher
que exala em flor as letras sonhadas,
no fundo de mim há as marcas da vida,
as dores sentidas, as lágrimas contidas

Quando olhar em olhares, olhe além...
Verá que a menina-íris é enfeite ao deleite,
detrás das pupilas há histórias vividas,
há o passado no silêncio do olhar.
Aprenderá que a idade do corpo
é de acordo com as chagas da alma...

São os meus as janelas abertas da alma,
há resto de sonhos guardados além das cores,
que vibram fazendo letras, colorindo dores
Tanto falam os olhos sem dizer...
Agora te peço: Olhe além de meus olhos...
Aquela menina, ainda consegues ver?

Anna Carvalho

domingo, 15 de maio de 2011

Borboleta Azul





Sou apenas uma borboleta Azul,
procurando a tal felicidade,
apostando nas asas do vento
o rumo incerto do meu coração.



Anna Carvalho


sexta-feira, 13 de maio de 2011

Lágrimas de Poeta





As lágrimas do poeta são sonoras,
nascidas na fonte de seu coração...
Musicadas lágrimas sentidas ecoam,
Sofridas; que nas poesias ressoam

Os soluços são como notas na escala,
puras são as lágrimas derramadas

Choram os olhos e as mãos do poeta,
que mesmo tristonho rege sua orquestra,
em suas dores novos versos, novas pautas
inspiração que a lágrima teimosa realça

Doce como os acordes d’uma flauta,
são as lágrimas pelo poeta vertidas.
Fazendo das dores estrofes e versos;
regendo com caneta o concerto da vida.

Anna Carvalho




quarta-feira, 11 de maio de 2011

Vieste na hora exata






Vieste em mim com teu melhor beijo,
e cativaste meus lábios em desejo

Vieste para mim com teu melhor afago,
e conquistaste em meu corpo a meiguice

Vieste em mim com a doçura de palavras,
e cativaste meus ouvidos para ouvir-te

Vieste para mim como a lua em noite vazia,
e conquistaste teu espaço no céu dentro de mim

Vieste em mim com a pureza de teu amor,
e cativaste em meu peito o verdadeiro sentimento

Vieste como chuva serôdia e saraste a terra seca,
e fizeste renascer a Mulher dentro de mim.

Vieste em hora exata como luz do Sol em novo dia...
e conquistaste dentro de mim o eterno amanhecer.

Anna Carvalho




terça-feira, 10 de maio de 2011

Amor no meu silêncio! - Poemas de amor - Poemas e Frases - Luso-Poemas



Sem inspiração





Momento em que as letras fogem,
levam as idéias p’ra longe
a poesia perde as palavras,
quando as rimas se escondem

De tudo se quer dizer
e nenhum verso se encaixa,
triste sina a do poeta
quando perde o fio à meada

Tempo que a caneta trava,
a cor do papel perde a graça
as estrofes dançam na mesa,
a inspiração arruma as malas

As letras já ganham asas
voam p’ra longe com as palavras
o poeta fica aflito à espera
achando que a vida perdeu a graça

Mas poeta que é poeta sabe;
isso é momento que dá e passa,
a inspiração logo volta p’ro peito,
e a poesia explode em palavras!

Anna Carvalho


segunda-feira, 9 de maio de 2011

Um oceano de segredos...



"O coração da Mulher
é um oceano de segredos.
Hora é mar calmo, águas límpidas,
noutra revolto com ondas bravias.
No coração duma Mulher
há um mar infindo em mistério;
com momentos de calmaria,
e tempestades interiores."

 Anna Carvalho




domingo, 8 de maio de 2011

Apenas um carinho


" Sim, hoje entendo a razão do silêncio...
Uma rosa à minha querida mãe"


Amor à moda antiga




Não me fale de amor da boca p’ra fora,

quero sentir aquele amor vindo d’alma

o sentimento que enobrece, completa e acalma.

Quero o verdadeiro amor puro d'outrora,

união de corpos  jurada por toda vida,

vivido nos  tempos da carochinha



Não me queira dar um amor pela metade,

meu corpo pede da vida toda integridade.

E não pense que isso é sonho fora da realidade,

tampouco veja como almejar a antiguidade,

quero apenas  o amor em contexto e verdade



D’que adianta amar na vida o corpo pela metade?

Não deveria o sentimento ser fruto da sinceridade?

Os modernos fazem o amor de fora p’ra dentro,

instintos se difundem e distorcem em desejos...

Busco o sentir de dentro p’ra fora por derradeiro.



E não me venha tentar envolver com meias palavras,

dizeres de amor sempre carregam um pouco d’alma,

são flores do coração regadas e cultivadas no tempo.

Se queres de fato a nobreza do verdadeiro amor;

comece por viver e demonstrar o sentimento



Sim, quero provar tudo da vida sempre por inteiro;

amor em essência, vida em poesia com alma e respeito.

Sem apreço nas palavras adocicadas lançadas ao vento,

palavras vazias e sem impacto; eu às dispenso!

Quero da existência o verdadeiro e eterno sentimento.



Anna Carvalho



sábado, 7 de maio de 2011

Além de mim



Tem vezes que fecho os olhos do corpo,
e abro os olhos da alma, assim tanto vejo!
Há um mundo todo meu além da pele,
além da carne, dos anseios, além de mim

Dentro do peito há a menina que chora baixinho
lágrimas puras aos sonhos que guardei por medo,
ela brinca de faz de conta, faz ciranda com sorrisos

No silêncio do peito ouço os soluços da menina,
ecoam ritmados ao coração que lamenta sonoro.
Tanto espaço há em meu mundo...
sou tanto dentro de mim, que ás vezes perco o rumo

Há lugar para um baú de lembranças empoeirado,
quase nunca o abro - talvez seja alérgica à saudade -
ou apenas doa um pouco reviver a verdade,
enfim sei; ando indiferente ao passado por vontade...

Há a Mulher recém chegada que do coração fez sua morada,
tem na alma o desejo intenso, força que mantém a menina no eixo
exala como flor o perfume de seu corpo,
os instintos saltam-me aos olhos e transparecem-me ao rosto

Quando olho p’ro mundo dentro de mim, tanto vejo:
menina e mulher ambas refletidas no espelho,
e seguem nas estradas da vida, juntas a todo o momento:
-Sim, de olhos fechados, tenho um mundo dentro de mim!

Anna Carvalho




Anna
Sabe-se que acompanho e oriento a tua carreira de Poeta, mas o dom está em ti e não posso deixar de repetir, que o teu talento estará perante quem te leia e serão certamente muitos os leitores.
Beijo grande




Zé,
O apoio é fundamental e sem sua orientação certamente eu não 
acharia meu "caminho" na poesia.
Torço para que tuas palavras generosas se cumpram em minha vida pois o maior desejo de quem escreve é ser lido!
Beijão,

Anna.