sexta-feira, 13 de maio de 2011

Lágrimas de Poeta





As lágrimas do poeta são sonoras,
nascidas na fonte de seu coração...
Musicadas lágrimas sentidas ecoam,
Sofridas; que nas poesias ressoam

Os soluços são como notas na escala,
puras são as lágrimas derramadas

Choram os olhos e as mãos do poeta,
que mesmo tristonho rege sua orquestra,
em suas dores novos versos, novas pautas
inspiração que a lágrima teimosa realça

Doce como os acordes d’uma flauta,
são as lágrimas pelo poeta vertidas.
Fazendo das dores estrofes e versos;
regendo com caneta o concerto da vida.

Anna Carvalho




1 comentários:

José Manuel Brazão disse...

Anna

Este poeta tem vivido assim com lágrimas rolando.

Em momentos tristes ele cria poemas para os outros se encantarem e alimentarem a alma.

Teu poema me encantou e minhas lágrimas voltaram a rolar pela minha face pensando na Mulher que és quee saindo da barriga da tua Mãe Maria já vinhas Poeta de sensibilidade apurada e inspiração divina!

Beijo grande

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t