sábado, 4 de junho de 2011

Beija-me




Beija-me como se o tempo curvasse para nos observar,

sinta o soprar de minha vida entre em teus lábios,

embriague-se do néctar que carrego na saliva,
no delicado roçar de nossas bocas em absoluto silêncio...

Entrego-me ao teu corpo; em nenhum momento reluto;
quero-te nu das roupas, das taras, das vaidades...
Vou-te sorver da alma, saciar de meu corpo as vontades

Toca-me a pele com as pontas de teus dedos, colha arrepios,
de meu intimo os  gemidos, de meus olhos os segredos...
Desejo-te dentro de meu corpo por inteiro, prazer verdadeiro!

Faço-te a alma cativa, pelas curvas de meu corpo rendido,
como se derradeiro momento de prazer em vida...
Beija-me apenas; deixe as pressas para o Tempo
que impaciente não compreende; as sutilezas da vida...

 Anna Carvalho 








3 comentários:

José Manuel Brazão disse...

Anna querida

Pois beijo-te tão caloroso como o amor expresso no teu poema tão sensual!

Beijo grande
com amor

Drisph disse...

Oie, passando para fazer uma visita e divulgar o meu livro http://clubedeautores.com.br/book/43926--Os_segredos_de_Eva um dossiê de poesias para os que compreendem o amor como um dom de sentir. Bjs

Nilson Barcelli disse...

Magnífico poema, onde a sensualidade é rainha...
Beijo.

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t