sábado, 4 de junho de 2011

Liberdade de expressão?! Coitada das letras...




Enoja meus olhos os que poetam a discórdia,
enoja minh’alma quem faz das letras armas,
dos pensamentos açoites, dos versos recados...
Haja! Poesia é arte, é carícia, uma forma de viver...

Pena tenho das estrofes armadas;
pobre sina dessas tristes letras sem vida,
lançadas ao léu dos ventos sem nenhum saber...

Destinadas a ferir olhares;  por bel-prazer?!
De todas as coisas que o poeta pensa
nem sobre todas se deve escrever...

Há em cada baú de idéias temas belos a dizer;
já aqueles que fazem das letras punhais,
muito lamento pelos que o haverão de ler...

Anna Carvalho



Paulo, o Apóstolo, que tinha a lucidez da razão, adverte com sabedoria: 
''Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém.''



2 comentários:

José Manuel Brazão disse...

Em Portugal diz-se: deste uma bofetada na cara com luva!

Este poema é isso mesmo!

Estou contigo sempre!

Beijo grande

Nilson Barcelli disse...

Excelente.
Na forma e no conteúdo.
Um beijo.

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t