sexta-feira, 29 de julho de 2011

Preciso, mas não quero esquecer...



Como faço para esquecer,
se tudo olho e busco me faz lembrar você?
Em que corpo minha alma está?
Já cansei de dizer ao coração que lá não é mais seu lugar.
Deixa estar, dizem que o tempo se encarrega de acalmar,
vou acreditar, há um fio de sonhos em mim,
não posso deixá-lo se apagar assim.

Vivo -ou penso que vivo- cada segundo do meu dia,
nessa pura nostalgia, onde cada hora é você,
onde tudo que procuro de alguma forma me faz te querer.
A duvida já corrói a sanidade,
já não sei se resta alguma na verdade...

Me ensinou a amar e amar todo tempo,
Agora, quem me fará esquecer ?!
 Se viver sem amor pode até parecer, 
mas em nenhum momento da vida isso é viver
Existo então, inteira afundada nesse sofrimento...
Resta um pedido, uma culpa, um grito, um lamento:
-Amor, volta me ensina te esquecer...
Mesmo que muitas vezes  pareça; eu não existo sem você!


Anna Carvalho


4 comentários:

José Manuel Brazão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
*Simone Poesias* disse...

Oi Anna, lindo e triste poema.
É difícil mesmo esquecer um amor.
Tomara que ele escute o seu chamado e volte para te ensinar a esquecê-lo. Mas quantas foram as vezes que suplicamos isso e não ouvimos uma resposta? Só nos resta, encontrármos a força dentro de nós, o que não é nada fácil, mas não é impossível. :m

Bjinhosss e parabéns!! :g

FABIANO disse...

Lindo...Maravilhoso! Amei de verdade.
Beijinho.

Artes e escritas disse...

Esqueça de pensar que precisa esquecer que o esquecimento se encarrega de tudo resolver. Um abraço,Yayá.

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t