quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Beijo roubado






Perdi-me no vão saboroso de teus lábios,

no mais profundo beijo roubado.
Estremeci inteira no calor de teus braços
no momento daquele encontro “forçado”,
duas bocas atrevidas em ofegante compasso

Tuas mãos curiosas logo se encaixam,
nas curvas de meu corpo e encontra ao acaso
um regaço banhado pelo frenesi do amasso.
Pedindo docemente teu desconhecido corpo suado
cedendo perfeitamente no desejado espaço.

Espasmos, gemidos, sussurros... cansaço...
Esparramamos um no corpo do outro calados,
exalam-se as características marcantes do ato.
Lembranças do prazer em momentos eternizados.
Hoje entrego-te todos os beijos, venha busca-los!

Anna Carvalho.




4 comentários:

Anônimo disse...

Querida Amiga que poema fantástico... parabéns :n

Adriana Vargas de Aguiar disse...

"Se não podem me ler; que eu me leia; que conheça os sobressaltos que interpõe esta ponte, e se ela não existir, que eu seja o engenheiro sagaz; determinado a cumprir com o meu objetivo, seja lá, onde estiver as ferramentas que preciso ainda encontrar para beijar os pés de Clarice Lispector; limpando o chão pelo qual passou Machado de Assis; lendo e aprendendo com o tão polêmico Nietzsche... Ah, Senhor, protetor dos novos e loucos autores, que esta chuva que refrescou a luta árdua de tantos molhe o meu telhado a ponto de encontrar a humildade necessária que não me fará algoz de minhas próprias ambições..."


Ola querida,
Não some não, está tendo sorteios no blog todos os meses; passa lá para conhecer as novidades!Estamos de blog praticamente novo, e conto com sua presença por lá!Lindo texto, parabéns pela inspiração.
abs

Paula Moraes disse...

Sensual e terno, muito belo.
Bjs Ana.

Arnoldo Pimentel disse...

Um lindo poema de amor.Beijos

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t