sexta-feira, 12 de agosto de 2011

em nome do amor


Se procura meus beijos, 
não procure!


Costurei a ferida do meu coração com arame farpado...


Lá dentro sepultei um amor do passado,
Amor covarde! Não soube amar de verdade...


Já se encontra necroso e fétido!
Nem mesmo a vaga lembrança me agrada...


Ah, já não acredito em príncipes e fadas!
Hoje sei que sapos vivem não só em brejos


E aprendi que beija-los não quebra encantos 
Aprisiona sentidos!


Se procuras meus beijos?
Não procure-os


Todos os beijos foram trancados
Junto ao caixão do amor do passado


que foi velado e enterrado
no terreno, hoje árido, do meu músculo involuntário!

0 comentários:

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t