terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Nosso Fim




Saí,
sem ao menos olhar p'ra trás,
ouvi apenas a batida da porta logo atrás das minhas costas.

Doeu não só os ouvidos,
doeu também aquilo que eu carregava em meu peito,
doeu não sei bem por qual razão...
Talvez tenha ficado por detrás daquela porta,
o resto da minha ilusão.

Saí pisando baixo, meio arrastado,
saí com parte minha querendo voltar.
Hesitei, a maior parte de mim fugia sem pensar...

Era hora de nosso adeus,
que por fim toda palavra emudeceu;
apenas atos teus e meus!


Anna Carvalho

2 comentários:

Jorge Santos disse...

muito bom meus parabens

rosa-branca disse...

Anna, gostei muito do seu poema. Beijos com carinho

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t